segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Exposição temporária de fotografia "Gritos em silêncio", de Nuno Caetano


Biblioteca Juiz Conselheiro Dr. Francisco Rodrigues Pardal em novo espaço no MMA





Neste espaço, o visitante pode encontrar alguns dos objectos  pessoais  do  Dr. Pardal:  as  suas canetas,  lápis,  pastas,  máquinas  de  fotografar  e  filmar  e  até  mesmo  algumas  sebentas  com  apontamentos  que  o  próprio  tirava  nas  aulas  e  que  vendia,  posteriormente,  aos  colegas, para  custear os seus estudos.
O  Juiz  Conselheiro  Dr.  Francisco Rodrigues  Pardal  nasceu  na  Várzea  dos  Amarelos,  Maçãs  de  D. Maria, a 16 de Maio de 1927, e frequentou o Liceu Nacional D. João III, em Coimbra e a Faculdade de Direito, na qual se licenciou em 1951.
Para  além  de  ter  exercido  advocacia  em  Alvaiázere,  foi  chefe  de  Secretaria  da  Câmara  Municipal de Coimbra  e Secretário  do Governo Civil da Horta, tendo  sido  delegado Procurador  da República na  Comarca  de  Cuba.  Em  1957  tomou  posse  com  Agente  do  Ministério  Público  no  Tribunal  de Execuções Fiscais do Porto.
Em  Dezembro  de  1963  foi  promovido  a  Juiz  e  colocado  no  Tribunal  das  Contribuições  e  Impostos de Santarém, tendo sido nomeado, em 1975, Director Geral das Contribuições e Impostos.
Três anos depois, tomou posse como Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal Administrativo, e foi eleito Vice-Presidente do Tribunal Administrativo em Novembro de 1989, cargo que ocupou até 1997. Em 1999 foi nomeado Defensor do Contribuinte. Pai  de  três  filhos  e  avô  de  oito  netos,  o  Conselheiro  Francisco  Rodrigues  Pardal  foi,  também docente  na  Universidade  Autónoma  de  Lisboa  e  na  Universidade  Lusíada,  leccionando  diversos cursos sobre Direito Fiscal, Tributário e Contencioso Tributário e Administrativo. 

Visita dos alunos da Escola Tecnólogica e Profissional de Sicó


Formação em pintura de mobiliário


segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Formação em acordeão e concertina



No dia 13 de novembro de 2015 tiveram início, no Museu Municipal de Alvaiázere, aulas de acordeão e concertina. 
Com cerca 15 inscritos, de diferentes faixas etárias, as aulas ministradas pelo formador Bruno Gomes serão semanais, com a duração de uma hora; por forma a maximizar e potenciar as capacidades/ necessidades e objetivos de cada aluno as aulas serão individuais.
Tratando-se de instrumentos versáteis, que exigem o domínio da movimentação do fole, o posicionamento correto das mãos e a postura certa, estabeleceu-se como objectivos iniciais o conhecimento das notas e o trabalho com as duas mãos.
Desta forma, o Museu Municipal inicia mais um projeto que visa a promoção e divulgação da cultura popular tradicional, neste caso a partir de instrumentos musicais que assumem papel de relevo nos hábitos de socialização das nossas gentes.



Educação patrimonial em dia de S. Martinho



Educação patrimonial em dia de S. Martinho


As crianças do ensino pré-escolar e da creche da ACREDEM assinalaram, este ano, o dia de S. Martinho de forma muito especial, com um conjunto de atividades promovidas pelos serviços educativos do Museu, pelo CLDS 3G e pela docente responsável pela implementação do projeto de atividade física nos Jardins de Infância do concelho de Alvaiázere.
Para além da prática de diversos jogos tradicionais, as crianças tiveram, ainda, oportunidade de desenvolver diferentes atividades lúdicas com castanhas, desenhos recortados, canetas de feltro e lápis de cor. Houve, ainda, tempo para a recriação de um magusto tradicional com caruma dos pinheiros, numa iniciativa que procurou, essencialmente, promover a vivência do magusto tradicional e o convívio entre os mais pequenos.
Este tipo de ações emergem como instrumentos privilegiados de educação, socialização e integração sócio-motora, traduzindo-se em atividades extraordinariamente ricas para a integração em grupo, orientação espacial e preservação das tradições concelhias.